6 meses a aprender com o mundo

6 meses, 1 semana e 1 dia, foi este o tempo que estivemos afastados de Portugal. Agora que acaba, nem acreditamos. É uma mistura de nostalgia com saudade inexplicável. Passámos por tantas situações, vivemos tantas experiências, crescemos tanto e aprendemos ainda mais. Foi fantástico. Único. Maravilhoso. Sentimo-nos os mesmos, mas diferentes.

Andámos pelo mundo a absorver tudo o que ele nos tinha para ofertar. No total foram 25 países e de cada um deles retivemos algo diferente: da República Checa a beleza de Praga, da Alemanha o rigor e a guerra, da Dinamarca a riqueza, da Suécia a qualidade de vida, da Noruega os fiordes e os valores humanos, da Estónia o medieval, da Finlândia o aborrecimento, da Rússia o frio e a opressão, da Ucrânia a surpresa, da Moldávia o nada, da Roménia a revolução, da Bulgária as religiões, da Turquia os bazares e as mesquitas, da Índia o choque, do Nepal as crianças órfãs, da China os chineses, do Vietname a guerra, do Camboja o massacre, da Tailândia o Songkran, da Malásia Malaca, de Singapura o desenvolvimento, da Indonésia Bali, de Timor a luta e Portugal, da Austrália o deserto vermelho e as suas montanhas, da Nova Zelândia a calma da natureza.
Durante este périplo pelo mundo fizemos um pouco de tudo: jornalismo, agricultura, política, lecionámos, brincámos, bebemos, divertimo-nos, fizemos asneiras, ilicitudes, amigos, aventurámo-nos, mas sempre com a responsabilidade devida. E foi assim que crescemos. Aprendemos a estar longe de casa, a relativizar problemas a ultrapassar barreiras rapidamente, melhorámos o inglês, gerimos tempo e emoções, aceitámos a diferença e vivemos com ela, vivemos em condições adversas, enfim, fica uma viagem para a vida.

Havia tanta coisa para falar, tanta coisa para contar, mas a verdade é que quando se está a acabar um ano desta dimensão, não se consegue fazer um bom resumo.

Mas a viagem não foi só feita por nós, acreditem que vocês foram os nossos melhores companheiros. E é a vocês que pedimos desculpa por qualquer coisa e que agradecemos todo o apoio, elogios e criticas que foram fazendo à nossa viagem, foi ótimo poder viajar convosco! Sendo assim, cabe-vos a vocês acabar de escrever esta crónica através dos vossos comentários. Convidamos assim todas as pessoas que leram as nossas crónicas a deixarem um comentário, por mais curto que seja (afinal foram eles que nos deram a força para continuar…).

E claro, não podemos deixar de agradecer à Fundação Lapa do Lobo – a grande “responsável” por tudo o que acabámos de descrever e viver!

Contudo, depois de passarmos por todos estes países, podem ter a certeza que continuamos a preferir o 26º, PORTUGAL. Foi aqui que vivemos a maior parte do tempo, que recebemos a nossa educação e é aqui também que está a nossa família e amigos. É este o país que amamos. E esta crise que encontramos à nossa chegada, é uma fase que tem de ser ultrapassada com coragem e determinação, já passámos por tantas fases semelhantes. Força!

Caros amigos, foi um prazer viajar convosco!

Até sempre, companheiros!

Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , . ligação permanente.

14 respostas a 6 meses a aprender com o mundo

  1. Sebastião diz:

    A Vossa crónica final “6 meses a aprender com o mundo” é a prova máxima de que souberam beber e merecer o que viveram. Muitos parabéns, foram vocês os heróis destas aventuras!
    Agora, pedia um livro… melhor… uma banda desenhada sobre estes meses.

  2. Jorge Figueiredo diz:

    Boas
    Haveria seguramente imenso para dizer sobre a vossa (em que nós nos incluímos) aventura.
    Porém de uma forma sintética, direi: obrigado pela boleia, pelas fotos e filmes, pela partilha do sonho, pela descoberta, pelso sorrisos arrancados, pelo entusiasmo, pela intensidade da escrita, pela aceitação dos desafios, pela amizade partlhada, pelo convívio partilhado, pela, pela, pela …
    Enfim OBRIGADO (as maiúsculas são obviamente propositadas) por TUDO, que foi muito, intenso e bom.
    Mas, (existe quase sempre um mas na nossa vida) o ponto final está longe de ser colocado.
    Aguardo com ansiedade as próximas etapas:
    – O pensar alto (onde tudo começou, lembram-se?);
    – A exposição de fotografia (o desafio é da minha responsabilidade);
    – O livro de viagens (o desafio continua a ser da minha responsabilidade)
    e por último a cereja no topo do bolo
    – O desafio de levarem alguns de nós a vivenciarem de forma entusiática um mini gap year!!!
    Aguardo com ansiedade as próximas etapas.
    Até ao virar da esquina valorosos companheiros de viagem.
    Jorge Figueiredo

  3. Maria Martins diz:

    Só tenho uma coisa a dizer: MUITO BOM!
    Beijos grandes

  4. Carolina Nikaitow diz:

    Adorei, e adoro ter-vos de volta ❤

  5. Ana diz:

    Só digo uma coisa…Brutal!

  6. Rui Gomes diz:

    No fundo todos viajámos com vocês, através de vocês.
    Gostei bastante das vossas reportagens e das vossas fotografias.
    Notou-se muita vontade de descobrir sítios, pessoas e situações novas, um olhar deslumbrado, sem constrangimentos de qualquer espécie.
    Ficamos com nostalgia que tenha acabado esta aventura.
    Sugiro a publicação destas crónicas em forma de livro com tudo o que aqui não coube.
    Abraço

  7. Alexandre Sousa diz:

    Já acabou? Têm a certeza? Não estão enganados? 🙂
    Parece que foi ontem…
    Também por isto, este projeto é uma lição de vida…o tempo não pára…toca a aproveitá-lo.
    Um abraço para os meninos/homens , que a vida vos continue a sorrir.

  8. E agora, meus senhores… vem a parte mais difícil de todas.
    Adivinham qual?
    Não, não é o voltar a um determinado ritmo de vida, provavelmente repetitivo…
    É sim, assimilarem esses meses. Meterem dentro de vocês as riquezas de tanta gente que conheceram, de tantas e tão diferentes realidades.
    Vocês viram coisas que muitos nunca vamos ver. Mostraram-nos um mundo turístico e apetecível. Mas, felizmente, também estiveram onde mais ninguém quer estar. E partilharam.
    Ficámos todos a ganhar. Obrigado por essas partilhas.
    Assimilem bem o que aprenderam e descobriram. E partilhem a realidade.
    Escrevam um livro, falem em conferências, escrevam novas crónicas “daquilo que se esqueceram”.
    E… na Universidade… partilhem o conhecimento. Façam as coisas evoluir.
    Vemo-nos em breve.
    Um abraço aos dois.
    Tiago

  9. Agostinho Matias diz:

    Vem vindos de volta.
    Para quando umas tertúlias na F.L.L. para mostrar/contar as vossas experîências?

  10. Raquel Simões diz:

    Parabéns e Obrigada por tudo o que conosco partilharam: as imagens, as histórias…
    Não foram só vocês que ficaram mais “ricos”! Também nós que vos fomos acompanhando ficámos.
    Que Boa Aventura!!!
    Muitas Felicidades aos dois!

  11. Isabel Azevedo diz:

    Os nossos rapazes estão de volta… estão (estamos) muito felizes, porque estão bem, porque estão de volta, porque viveram experiências maravilhosas e únicas para eles, porque as souberam absorver com a intensidade que é própria a dois jovens de 18 anos, sempre atentos e responsáveis.
    Não posso deixar de expressar a minha (nossa) gratidão à Fundação Lapa do Lobo, na pessoa do Dr. Carlos Torres, que apostou e confiou nestes jovens, proporcionando-lhes, o que eu acredito que tenha sido, a viagem da vida deles. O nosso muito sincero bem-haja!
    Sou uma Mãe feliz e muito orgulhosa.

  12. Gena Nascimento diz:

    Gonçalo Tiago
    É com alguma nostalgia que a viagem acaba também para nós!
    Pela minha parte agradeço tu o que vi e aprendi através das vossas crónicas, das vossas excelentes descrições, de tudo o que viram e ouviram! Fizeram-no de tal maneira, que quase conseguíamos sentir os cheiros e sabores. Senti tudo o que vocês sentiam, fossem esses sentimentos de alegria, ou de tristeza, quando o que descreviam era menos bom!
    Adorei viajar convosco e agradeço o facto de vocês nos terem proporcionado ao longo destes meses, essa oportunidade!
    Acredito que todas as experienciais que viveram ao longo de todo este tempo, vos será útil ao longo da vida!
    Obrigado por tudo e sejam bem-vindos ao nosso Portugal!
    Beijos grandes

  13. João Paiva diz:

    Bem Vindos de volta ! 🙂

  14. Foi interessante ler as vossas crónicas e ver as vossas fotografias. Vocês tiveram a oportunidade de realizar o sonho que muitas pessoas nunca poderão realizar na vida. Fizeram-no com uma responsabilidade e um sentido de aprendizagem e comunhão com a cultura em que se encontraram que deixam qualquer um, mesmo que não vos conheça pessoalmente, com um sentimento de orgulho por dois jovens portugueses. Aquilo que vocês cresceram e aprenderam será sem dúvida uma mais valia para o vosso futuro que só pode avizinhar-se cheio de sucessos. E sem dúvida dá para notar a grande amizade entre vocês os dois. Não se passa meio ano a viajar com alguém sem que se tornem quase “irmãos de guerra”. Porque foi isso que de certeza vocês se tornaram, 2 irmãos.
    Que o vosso/nosso Portugal vos saiba acolher tão bem quanto os outros países, e vos dêem as oportunidades que vocês e todos os jovens merecem.
    Um abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s